21 set/17

Escola de idiomas realiza Pet Day com "cãominhada" neste domingo, dia 24

postado por Diogo Branco


Uma manhã especial para os animais de estimação e seus donos, que contarão com diversas atividades e atrações, entre elas, a presença de Max, o cão celebridade



O CNA Campos Salles e Dom Pedro realizam no próximo domingo, 24 de setembro, o “Pet Day CNA”, uma manhã repleta de atividades para os cãezinhos e seus donos. Além de uma cãominhada, também haverá desfile de animais, sorteio de brindes, apresentação dos cães da Força Tática da Polícia Militar, entre outras atrações. Um dos destaques é o Espaço Bem-Estar Pet, com profissionais voltados à saúde animal que darão dicas e orientações gratuitas de nutrição, cuidados e bem-estar dos bichinhos.

 

A concentração para a cãominhada acontece às 8h30, em frente à entrada principal do Shopping Santa Úrsula (Rua São José, 933), com percurso em direção à Praça Sete de Setembro. O evento também terá cunho social, os participantes poderão doar ração para os cães que aguardam adoção.

 

Outra atração será a presença de Max, o cão celebridade da raça golden retriever que já participou de reality show e atualmente é o mascote das rações Max. Além disso, os inscritos poderão participar de um desfile de animais de estimação, cujo júri irá eleger os animais mais fashion, mais fofo, mais brincalhão, mais exótico, entre outras atribuições. Na concentração do desfile, os bichinhos serão tratados como grandes estrelas das passarelas.

 

Para comemorar o Dia da Árvore, celebrado em 21 de setembro, haverá distribuição de mudas gratuitamente. A ação é realizada em conjunto com a empresa Alpha Condomínios.

 

O “Pet Day CNA” é organizado pelo CNA Campos Salles e  Dom Pedro, é gratuito e as inscrições podem ser feitas pelos telefones (16) 2111-7755 / 3963-6370 ou pessoalmente em uma das unidades citadas acima. 


Os inscritos ganharão uma placa de identificação do animal e um kit higiênico para o recolhimento de fezes dos bichinhos de estimação. 

 

Programação Pet Day CNA:
8h30: Concentração em frente ao Shopping Santa Úrsula;
9h: Início da Cãominhada até a Praça Sete de Setembro;

10h: Desfile de animais de estimação;
Inscrições: gratuitas pelos telefones (16) 2111-7755 / 3963-6370

 

20 set/17

Exposição no RibeirãoShopping reúne esculturas que provocam uma reflexão sobre temas do dia a dia

postado por Diogo Branco

A mostra, assinada pelo artista plástico Zeppa Tudisco, pode ser apreciada, gratuitamente, no Setor Terra Vermelha do empreendimento



O RibeirãoShopping traz uma exposição que estimula a pensar sobre o sentido do reflexo. A mostra do projeto “Visão Reflexiva”, do artista plástico Zeppa Tudisco, pode ser apreciada, gratuitamente, no Setor Terra Vermelha do empreendimento. Além da exposição, o projeto oferece oficinas para crianças com o tema “Refletir, perceber e acreditar na criatividade”, através de superfícies reflexivas e barquinhos de papel. Com inscrições gratuitas no local, as oficinas acontecem nos dias 30 de setembro, 7 e 14 de outubro, às 16h e às 17h15.

A exposição reúne cerca de 30 esculturas produzidas com diversos materiais em base de espelho sobre moldura. Entre os materiais utilizados estão o plástico, ferro, vidro, papel, dobraduras, penas, madeira, entre outros. Algumas obras foram produzidas com esculturas impressas em 3D.

“Nas obras, o espelho simboliza nossa estrutura pessoal e recebe aquilo que se pode tocar, representado por uma parte de um elemento, um objeto ou um não objeto. Já a parte refletida, representa o sentimento, a ambição, o amor, a frustração, o limite, a criatividade e tudo aquilo que é intocável, mas não deixa de ser profundo e reflexivo. Juntando as duas partes, temos o todo, e com isso um exercício de reflexão em uma época na qual a reflexão passou a ser rara ou até mesmo inexistente”, explica Zeppa Tudisco.

A interatividade também marca presença na exposição. Em uma das obras, o visitante encaixa o rosto para fazer uma foto com bigode e chapéu. O resultado, além de divertido, pode ser compartilhado nas redes sociais. A mostra também exibe vídeos das obras e produção com módulos direcionados a adultos, profissionais e crianças, que provocam um mergulho para dentro da própria criatividade, sem medo de se expor ou se arriscar
 

Serviço:
Exposição do projeto “Visão Reflexiva”
Acesso gratuito
Data: de 18 de setembro a 15 de outubro
Local: RibeirãoShopping - Setor Terra Vermelha
Horário: Segunda à sábado, das 10h às 22h.
Domingos e feriados das 14h às 20h

Oficinas para crianças 
Datas das oficinas: 30 de setembro, 7 e 14 de outubro
Horários: às 16h e às 17h15 
Inscrições gratuitas no local

 

20 set/17

Os benefícios da dança como atividade física

postado por Diogo Branco

Modalidade é ideal para quem quer cuidar do corpo, mas não gosta dos treinos mais tradicionais, como musculação

Dançar é se sentir livre, é conhecer o corpo e aprender a se expressar através dele, é garantir novos amigos e trabalhar para melhorar a saúde. O exercício da dança mexe com todos os músculos do corpo ao mesmo tempo, e é justamente por isso que a atividade deve sim ser considerada um treino.

Se você está em dúvida na hora de escolher qual atividade praticar para acabar com o sedentarismo, a dança é uma ótima opção, já que ela te permite escolher o ritmo e o tempo que você quer trabalhar com uma infinidade de estilos como jazz, ballet, hip hop, dança de salão, pop, flamenco, zumba, entre outros.

“A dança precisa ser encarada como exercício físico e como método de treino porque além de aumentar o gasto calórico e proporcionar a sociabilização, por ser uma atividade em grupo, também estimula o corpo todo e a gente pode se exercitar a qualquer momento”, afirma o professor de dança da Companhia Athletica Caio Fazan.


Bella Nader e Caio Fazan

Todos os estilos de dança trazem benefícios como aumento da flexibilidade, aprimoramento da coordenação motora, melhora cardiorrespiratória, aumento da circulação sanguínea, equilíbrio da pressão arterial, ativação do sistema linfático, otimização do condicionamento aeróbico e o principal, libera endorfina. Além de ser um exercício físico excelente, dançar é também uma grande terapia. “Na Companhia Athletica temos aulas em grupo, que além dos benefícios físicos, são ótimas para trabalhar a socialização com os colegas, combater a timidez e a depressão, aumentar a autoestima e a disposição para enfrentar o dia-a-dia. E tem as aulas individuais, indicadas para as pessoas que querem aprender a coreografia toda, com uma aula mais personalizada, de acordo com os gostos e o ritmo da pessoa”, explica Caio.

A blogueira e aluna de dança Izabella Nader Toniello, conta que fez ballet por 12 anos e se encontrou nas aulas da Cia Party porque pode ter contato com outros ritmos da dança. Atualmente, declara que não troca as aulas individuais por nada no mundo. “Eu entrei na sala para ter aula de dança com o Caio e me apaixonei, me descobri. Na época minha filha estava com seis meses, eu não estava com o corpo que eu queria e precisa de atividade física, mas não queria fazer musculação.  Com as aulas de personal em dança eu consegui emagrecer 10 quilos e me descobri como mulher, como esposa, melhorei a autoestima. A dança faz bem para o meu corpo e minha alma”, diz Bella Nader.

As aulas com músicas mais dinâmicas, como reggaeton e merengue, têm solicitação cardiovascular forte, que equivale a uma caminhada moderada. Todas as danças ajudam a melhorar a postura com fortalecimento da lombar e costas. “Qualquer pessoa pode fazer, exceto pessoas que tenham alguma recomendação médica para não fazer este tipo de atividade. Inclusive é um exercício que pode auxiliar as gestantes porque a dança trabalha o quadril e a coluna fica bem protegida. Quem dança os males espanta e espanta também aqueles quilinhos extras”, finaliza o educador físico Caio Fazan. 

 

 

15 set/17

Centro de Eventos do RibeirãoShopping recebe musical sobre Renato Russo

postado por Diogo Branco

Apresentação acontece no dia 4 de novembro, sábado, às 21h, e alia música e dramaturgia.



Suas músicas marcaram época e embalaram toda uma geração. No dia 4 de novembro os fãs de Renato Russo poderão reviver seus grandes sucessos em um musical que está há mais de 10 anos em cartaz e que, agora, a Virazóm traz ao Centro de Eventos do RibeirãoShopping.

O sucesso do espetáculo “Renato Russo, O Musical” se dá pela combinação perfeita das músicas de Renato Russo, que marcaram toda uma geração, somados à dramaturgia de Daniela Pereira de Carvalho, direção de Mauro Mendonça Filho, iluminação de Wagner Pinto, cenário de Bel Lobo e Bob Neri.

Além de tudo isso, o espetáculo traz a banda Arte Profana que toca ao vivo para delírio dos fãs, e também para os novatos, que ainda não conhecem a fundo a grande importância do astro do rock nacional no cenário artístico brasileiro. Renato Russo é interpretado pelo ator Bruce Gomlevsky.

A banda Arte Profana é formada por teclado, guitarra, baixo, bateria e ilustra com 22 canções a peça que conta a história de Renato Russo desde a juventude “punk” em Brasília, quando fundou a banda Aborto Elétrico e ficou por dois anos em uma cadeira de rodas até o sucesso da Legião Urbana. O quebra-quebra num show em Brasília e os problemas com drogas estão na encenação.

Depoimentos, reportagens, entrevistas, livros e imagens de shows serviram como base para a concepção da obra biográfica. “Renato é um grande poeta, e é por isso que continua causando comoção nas gerações de hoje. Sua obra gera um impacto enorme na nossa cultura”, afirma Gomlevsky.

Pontos de venda:
Bilheteria do Centro de Eventos e site 
www.ingressorapido.com.br
Informações: 16.3620-2266

SERVIÇO
Show Renato Russo
Data: 4 de novembro
Horário: 21h
Local: Centro de Eventos do RibeirãoShopping

Av. Cel. Fernando Ferreira Leite, 1540 - Jardim Califórnia, Ribeirão Preto/SP

15 set/17

"Divórcio" traz cenas gravadas em Ribeirão Preto

postado por Diogo Branco

Filmagens de longa brasileiro foram realizadas em Ribeirão Preto ao longo de sete semanas, entre 25 de maio e 7 de julho do ano passado. Desde o início do projeto, o produtor ribeirão-pretano LG Tubaldini Jr. tinha vontade de fugir das capitais Rio e São Paulo



O filme “Divórcio”, dirigido por Pedro Amorim, com pré-estreia em Ribeirão Preto (somente para convidados) no dia 19 de setembro e estreia nacional no dia 21 de setembro, traz muito de Ribeirão Preto: foi produzido pelo ribeirão-pretano LG Tubaldini Jr (produtor das comédias Qualquer Gato Vira-lata e O Concurso) e conta com cenas  na cidade, em locações na parte urbana e em uma plantação de tomates. As gravações foram realizadas durante sete semanas, entre 25 de maio e 7 de julho de 2016.  A comédia contou também com a participação de moradores de Ribeirão Preto na equipe, no elenco e figuração. “Divórcio” é produzido pela Filmland Internacional e tem distribuição da Warner Bros. Pictures.
 
Desde o início do projeto, o produtor LG Tubaldini Jr. tinha vontade de fugir das capitais Rio de Janeiro e São Paulo, tão marcantes na maioria das produções do cinema nacional. “Ribeirão Preto é uma personagem do filme, mas é muito claro também que ela faz parte de um novo interior. Tivemos a oportunidade de mostrar que o interior não é mais como antigamente, são cidades poderosas, grandes, com uma população bem informada, educada, rica, afluente. Então, de uma certa maneira, é uma forma de mostrarmos esse novo interior, o interior do agronegócio", destaca o produtor LG Tubaldini Jr.
 
Para o diretor Pedro Amorim, o deslocamento para o município também ajudou na ambientação do elenco e equipe. “Foi um dos atrativos que me chamaram atenção para o filme. Ribeirão não é um local explorado no cinema nacional de forma abrangente e é o pano de fundo da nossa história”, disse.
 
A atriz Camila Morgado passou um período em Ribeirão Preto antes das filmagens - para se aprofundar na cultura local. “Acho que filmar em Ribeirão Preto foi um acerto para toda a equipe. Para mim sempre foi um charme o longa se passar no interior de São Paulo. Isso dava um tempero maior para a história, um colorido. O legal de quando vamos para o interior é se apropriar um pouco do jeito, de como as pessoas te recebem, da generosidade”, diz.

PRODUÇÃO E DIREÇÃO - Em 2011, a história de Divórcio começou a ser construída pelo produtor LG Tubaldini Jr. "Estava em São Paulo conversando com várias amigas que tinham se separado e passado por histórias engraçadas no divórcio. E ouvindo aquelas histórias todas, dando muita risada, pensei: 'Opa, tem um filme aqui'”, recorda. A partir daí, LG Tubaldini Jr. trouxe o roteirista Paulo Cursino para desenvolver e transformar a história em um filme de verdade. “E ato contínuo foi trazer o Pedro Amorim, que é brilhante, com uma sensibilidade única, para poder transformar isso tudo em realidade", lembra o produtor.
 

11 set/17

Botox Day em Ribeirão Preto

postado por Viviane Matos

Para quem ainda não sabe, todo mês acontece em Ribeirão Preto o "Botox Day", comandado pelo Doutor Diogo Branco.

BOTOX DAY
Aplicação de Botox em Ribeirão Preto, pelo doutor Diogo Branco

"Este é um dia especial, e meus pacientes se sentem especiais também. Há um coquetel e muitos mimos e surpresas para eles. Além disso, eu convido aquelas pessoas que ainda se sentem inseguras para acompanharem todo o passo a passo da aplicação em meus pacientes, para que assim elas vejam que é um procedimento simples, rápido, seguro e muito efetivo." - completa Diogo Branco.


Para quem quiser ficar por dentro das próximas datas do tão aguardado "Botox Day", é só entrar em contato com o próprio Dr. Diogo Branco pelo Whats App: 016 992029171


04 set/17

COMO NOSSOS PAIS - Crítica

postado por Mateus Barbassa



"NÃO QUERO MAIS FINGIR QUE SOU UMA MULHER QUE DÁ CONTA DE TUDO. EU NÃO DOU CONTA DE TUDO. 


À primeira vista “Como nossos pais” pode parecer um filme simples, até mesmo novelesco. Mas à medida que o enredo vai se desenrolando, vemos que as intenções de Laís Bodanzki são muito mais sutis e importantes do que aparentam. De certa forma, é o retrato preciso de uma geração de mulheres que estão se dando conta que existe toda uma estrutura de sociedade que é voltada contra elas. Que fabrica mentiras contadas repetidas vezes que são compradas como verdades absolutas e que só traz sofrimento. No entanto, essa ficha demora a cair. A lucidez cobra seu preço e é preciso rever todos os conceitos e, sobretudo, questionar tudo o que fomos ensinadas. Isso inclui família, emprego, casamento, amor, tesão, filhos, valores, etc, etc, etc. E sim, a questão aqui é feminina. O ponto de vista é delas. Os homens do filme são como os homens da nossa contemporaneidade; em sua esmagadora maioria uma cambada de bananas. A grande reflexão que o filme me causou é algo que já venho diagnosticando já a um bom tempo. A importância do masculino em nossas vidas foi totalmente superestimada. Aprendemos desde sempre que mulheres precisam dos homens e que eles são seres livres, autônomos e maravilhosos e que nosso espaço na vida deles é algo sem nenhuma isonomia. A relação é quase sempre desigual e cheia de possíveis abusos. Somos enfraquecidas em nossa potência através de sucessivos processos que na maioria das vezes nem nos damos conta. Por isso, chega a ser irônico que a personagem principal seja uma dramaturga castrada em sua criatividade e que ao mesmo seja quem provem a casa, enquanto seu marido tenta salvar o mundo. Foi esse sempre o lugar do feminino. A manutenção de todos esses valores passa pelo ideal da maternidade e não é a toda que o filme remeta a isso logo em seu título. Em nome de manter as relações familiares todas as gerações de mulheres são silenciadas em inúmeras questões. O mito da maternidade é algo vendido como o ideal de felicidade para todas as mulheres. A polícia de gênero cumpre seu papel desde a mais tenra idade. Reduzindo todo o potencial feminino a reprodução do papel de mãe. Observe o que todos os brinquedos comercializados como para meninas comunicam. Todos visam a criar essa falsa ilusão de que você só será completa quando engravidar, gerar e cuidar de sua própria prole.

O aprendizado de Rosa, a protagonista do filme, é extremamente doloroso e inclui colocar em xeque todas essas supostas estabilidades. Pois são elas, as maiores responsáveis por criar esse padrão do que é ser mulher. Impossível não pensar em Simone de Beauvoir e sua frase clássica (“Não se nasce mulher, torna-se”) e todos os seus milhares de significado. A jornada dessa mulher contemporânea é se dar conta de todos esses processos sociais normalizadores que inventam essas classificações e que acabam por gerar toda essa ansiedade e sofrimento por esse sujeito social estável.
 
Várias e várias referências pululam aqui e acolá o tempo todo fazendo com que essa casca de comportamentos coerentes e regulares seja rompida. A maior delas é a obra teatral “A Casa de Bonecas” escrita pelo dramaturgo norueguês Henrik Ibsen em 1879. Tanto lá quanto cá, as protagonistas são mulheres submissas que vivem para a casa estendendo até mesmo para seus maridos o papel de mãe. Mas as divergências são ainda mais assustadoras. Apesar de trabalhar e ser a responsável pelo sustento da casa, Rosa ainda vive de acordo com que a sociedade acha que deve ser. Seu papel de mãe acaba por confinar seus desejos dentro daquelas paredes domésticas e tudo que se afasta desse ideal acaba por gerar mentiras e culpas. Essa frustração de algo que poderia ter sido e que não foi é o que sobra dessas vidas comercializadas como perfeitas. Dois contrapontos preciosos são apresentados nos papéis da Mãe de Rosa e de sua meia-irmã mais nova. Clarice, a mãe, é uma mulher  austera, fria, bastante egocêntrica, que vive sua vida da maneira como quer, diagnosticada com câncer não consegue deixar o prazer de fumar. Numa leitura esteoritipada de gêneros seria vista como masculinizada. Já a meia-irmã dela, possui algo de silencioso, daquelas que não precisam fazer alarde de suas verdades, até mesmo por não as ter ainda. O aspecto mais simbólico é que elas representam a velhice e a juventude. Já Rosa é a representante da vida adulta. Aquela que supostamente deve saber se comportar dentro dos padrões esperados. Tanto Nora de “A Casa de Bonecas”, quanto Rosa vão aos poucos se dando conta que não são pessoas se verdade. Se a metáfora proposta por Ibsen é a das bonecas, Bodanzky cutuca ainda mais fundo. Sim. Rosa é um fantoche daqueles confeccionados pelo seu próprio pai e usado para entretê-la em sua infância. A cutucada é mais profunda, porque se a boneca é apenas um objeto inanimado, o fantoche só ganha vida quando manipulado por outra pessoa. Se a trajetória de Nora é não mais brincar de casinha, a de Rosa é não mais aceitar ser manipulada pelos homens de sua vida. Isso inclui seu pai de criação aparentemente inofensivo, mas que é um aproveitador de marca maior, seu marido igualmente inofensivo, mas que a sobrecarrega com a rotina doméstica enquanto viaja pra cá e pra lá e quando está em casa fica na cobrança por sexo, seu pai biológico, um político importante que comanda o país, mas que não é capaz de ter qualquer atitude em sua vida privada e até mesmo um pai de um aluno da mesma escola de suas filhas que ela idealiza por vê-lo sempre fazendo compras, ou na reunião escolar, mas que pode esconder um comportamento machista por trás de todo o discurso libertário. Essa frustração com o masculino é extremamente importante para todo o processo que se seguirá e até mesmo para enxergar com olhos mais humanos para sua mãe prestes a morrer e sua filha mais rebelde. O ponto onde quero chegar com todo esse texto é exatamente esse. As mulheres são manipuladas para enxergar o risco, a ameaça, o medo em outras mulheres. Essa técnica visa impedir que elas compartilhem experiências e se apóiem. Essa impossibilidade de dividir o peso com outras mulheres acaba por criar desigualdade na relação entre homens e mulheres e até mesmo gerar esse sentimento de incompletude quando não se tem um representante do sexo masculino do lado. O mais extraordinário do filme é que toda essa questão é desencandeada após a revelação da mãe que Rosa não é filha do homem que ela acreditou a vida inteira ser seu pai. Aqui se faz preciso destacar que toda a ideia de propriedade privada que perdura até hoje é totalmente atrelada à descoberta do homem que ele participava do processo de concepção da vida. Até então as mulheres eram endeusadas e as crianças eram criadas por toda a comunidade. Ao observar os animais essa noção se desfaz e o medo de criar a prole de um outro homem gera todo esse cerceamento da liberdade feminina. Nascem ai o patriarcado, o machismo e toda essa noção e performance de gênero que carregamos até hoje. Sua manutenção é feita por todo um arsenal de artefatos e pirotecnias simbólicas que nos dizem a todo momento o que devemos fazer para ser um homem ou uma mulher. A filósofa queer Judith Butler escreveu que nós recebemos essas informações “pelas mídias, pelos filmes ou através de nosso pais, nós as perpetuamos através de nossos fantasmas e nossas escolhas de vidas” e que temos que negociar a todo instante com essas ideias e concluí:

”Alguns de nós as adoram e as encarnam apaixonadamente. Outros as rejeitam. Alguns detestam mas se conformam. Outros brincam da ambivalência… Eu me interesso pela distância entre essas normas e as diferentes formas de responder a ela."

Creio que esse interesse e resposta às normas seja o norte de toda ação libertária de Nora, Rosa e algumas muitas mulheres. A beleza do filme reside aí.

PS: Que trabalho lindo o de Maria Ribeiro, uma atriz que até então não tivera tido chance de mostrar seu talento. Sua Rosa é um transbordamento de existir. É uma flor de lótus que da lama floresce algo sublime.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

29 ago/17

Looks do Fashion For You

postado por Beatriz Oliveira

O Fashion For You acabou mas sempre tem algo para compartilhar né? Sei que vocês gostam muito quando postamos looks inspirações no instagram, então durante o evento não podería deixar de escolher alguns looks para compartilhar com vocês.

Com propostas diferentes a blogger Carol Ambrósio escolheu uma produção com uma pegada esportiva com direito a roubar a jaqueta do boy. Eu sempre falo que armário do boy, pai, irmão ou avô tem coisas maravilhosas né? Já a Isa Pretti abusou da tendência da transparência e também escolheu um look monocromático (de uma única cor) com uma cor nada básica: o vermelho.






@blogdaca


Bomber Jacket: Nasa
Cropped: Forever 21
Calça: Zara
Sapato: Trilha do pé
Bolsa: Zinco



@isapretti

Blusa e lingerie: PHD
Saia: Zara
Sapato: Schutz
Bolsa: Schutz
Cinto: Gucci
Acessórios: Lapretti



Top e calça: Letage
Sapato: Schutz
Acessórios: Lapretti


Tem look masculino sim! 



@eniovettorassi

Bata: Overend 
Calça: Riachuelo
Jaqueta Bomber: C&A
Bolsa: Uncle K
Assessórios: Lapretti


Claro que teria alguns looks meus por aqui. O primeiro usei na coletiva de imprensa do #fashionforyourbs . O que eu mais amo nesse look é que duas peças dele são peças que eu "transformei". O colete era um palitó que eu comprei no brechó e a calça era uma calça normal que eu comprei em uma loja do centro e pedi para a costureira cortar para virar uma pantacourt. 

Já o segundo look, usei no primeiro dia de desfiles. Tinha receios de usar transparência, ainda mais por ter muito busto. Mas combinando com a calça e a jaqueta, ficou mais equilibrada a produção e me senti mais confortável.



@biaholiveira_

Blusa: Renner
Colete: Brechó
Calça: Lalilu
Sapato: Zara
Bolsa: Trilha do Pé



Blusa: Forever 21
Top: Renner
Jaqueta: Brechó
Calça: Renner
Sapato: Primark UK
Bolsa: Trilha do Pé


Qual look foi seu preferido? Conta pra mim! 



Beatriz Oliveira
Editora de Moda do Farofa Cultural

23 ago/17

Pratinha é a primeira cervejaria artesanal de Ribeirão Preto a lançar rótulos em lata

postado por Diogo Branco


As cervejas Pratipa, uma India Pale Ale Inglesa, e a Darkmoon, uma Stout com cacau, podem ser encontradas em latas de 473 ml



A Cervejaria Pratinha, com sede em Ribeirão Preto (SP), é a primeira da região a lançar cervejas artesanais em lata, em embalagens de 473 ml. Os dois primeiros rótulos que já podem ser encontrados são a Pratipa, uma India Pale Ale Inglesa, com 6% de graduação alcoólica e 65,2 de IBU (amargor), e a Darkmoon, uma Stout, que tem 6,2% de graduação alcoólica e 34,6 de IBU que leva em sua receita nibs de cacau do sul da Bahia, onde é produzido o mais fino cacau do Brasil, chamado de Cabruca. Ele é plantado na região de Ilhéus, na Mata Atlântica, e não causa desmatamento, preservando a vegetação nativa, que reúne vários exemplares de Jequitibás, Jacarandás, entre outras espécies. Esta cerveja, inclusive, recebeu a medalha de prata numa das maiores competições cervejeiras do mundo, o International Beer Challenge, realizado em Londres, na Inglaterra.



As cervejas em lata da Pratinha podem ser encontradas durante o seu lançamento simultaneamente no site (www.cervejariapratinha.com.br), na loja da cervejaria (Avenida Caramuru, 515, Ribeirão Preto), no Empório BierGarten (R. São José, 1483, Ribeirão Preto), no Cervejarium (Av. Independência, 3242, Ribeirão Preto), no Empório Toscana (Av. Anhanguera, 1087, Ribeirão Preto) e no Empório Santa Therezinha (Shopping Iguatemi, Ribeirão Preto) e até o final do mês de Setembro na cidade de São Paulo em empórios especializados.


Pioneirismo


Pioneirismo e tecnologia, aliás, estão no DNA da Pratinha, que tem, entre suas missões, testar protótipos e desenvolver técnicas e tecnologia em um processo contínuo de inovação. Além da utilização de algas e do aquecimento solar, a cervejaria possui uma centrífuga que substitui o filtro utilizado normalmente para deixar a cerveja cristalina. Algumas empresas já utilizam esta centrífuga, mas a Pratinha será a primeira do país a utilizá-la antes de mandar o mosto para fermentação para o tanque (mosto quente), onde haverá a fermentação, aumentando, assim, não só o rendimento, mas a eficiência na remoção de resíduos em suspenção, conhecido como “trub”, contribuindo para a qualidade da cerveja. “Todas essas inovações são testadas em nosso Beer Hack Lab, um laboratório onde realizamos experiências com produtos e tecnologia para depois aplicarmos na linha de produção”, explica Braghetto.


Sobre a Pratinha


Sediada em Ribeirão Preto (SP), a Cervejaria Pratinha foi fundada em 2013 e conta com 10 receitas principais, sendo que a maioria estará sempre presente em linha e outras serão sazonais, como a Culotte de la Duchesse, uma Red Flanders maturada por um ano antes de ser engarrafada.


Idealizada pelo empresário José Virgilio Braghetto, nasceu da curiosidade e do interesse dele pelo assunto ainda na década de 90, quando passou uma temporada fora do Brasil, mais especificamente da Dinamarca, onde foi apresentado ao mundo das cervejas especiais. De volta ao Brasil, o empresário criou um portal para o mercado cervejeiro chamado República da Cerveja, o primeiro do gênero na América Latina que tinha como foco principal a geração de negócios B2B, além de oferecer ferramentas on-line que auxiliava cervejeiros, como softwares que ajudavam a calcular o amargor da cerveja, a quantidade de álcool e o extrato. Para desenvolvê-lo, porém, precisou aprender alguns conceitos e as fórmulas propriamente ditas, que foram os fundamentos para que, anos depois, concretizasse o projeto da cervejaria.


Saiba mais no site www.cervejariapratinha.com.br

22 ago/17

Regina Volpato lança "Mudar Faz Bem"

postado por Diogo Branco

Regina Volpato, laureada jornalista que ficou conhecida nacionalmente ao apresentar programas de sucesso na televisão, lança agora seu primeiro livro : "Mudar Faz Bem". Com a proposta de deixar a vida mais leve ao aprender a lidar com os problemas, o livro torna-se peça fundamental para quem adora aprender mais sobre a vida e suas voltas. Afinal, quem nunca passou por algum processo de mudança na vida?



Quem acompanha o trabalho de Regina Volpato conhece sua competência e profissionalismo. 
Ela mudou muito profissionalmente, inclusive mudando da televisão para o Youtube. Arriscou-se numa plataforma nova, o que deu muito certo, com quadros onde ela se expõe e conversa com seu público de uma maneira até então pouco explorada pela televisão.

Agora com seu primeiro livro, reafirmamos também sua capacidade ímpar de comunicação. Regina conversa com você como se estivesse ali na mesa da sua cozinha, tomando um café da tarde. E não é só este o ponto alto do livro: a comunicação abarca a todos,independente da escolaridade, idade, gênero ou classe social. As 272 páginas deste livro servem tanto para o seu filho, quanto para a sua avó. E para frisar seu lado prático, vale ressaltar que os capítulos não seguem uma sequência lógica. São capítulos independentes, o que confere outro ponto positivo, pois estamos na era do tempo escasso, onde leituras rápidas e descomplicadas levam vantagem.

A identificação com o tema é imediato, desde a capa. Todo mundo já mudou, desde o primeiro berro ao nascer. Só não percebe quem não quer, mas estamos sempre enfrentando mudanças, o tempo todo. Mas será que sabemos lidar com todos os tipos de mudanças?


"Por que é tão difícil mudar? Você sente que as incertezas do futuro te dominam? Não consegue viver inteiramente no presente? Mudanças são constantes. Tudo muda o tempo todo. A grande questão é como lidamos com esses novos caminhos ao longo da vida. Em Mudar faz bem, Regina Volpato mostra que é possível lidar com todas as mudanças com leveza, enfrentando as incertezas com bom humor e menos rigidez. Um livro inspirador sobre o encontro consigo mesmo durante sua jornada. Seja enfrentando seus medos, assumindo suas fraquezas, encarando-se no espelho, ou abrindo espaço para o novo. “Finais e começos são inseparáveis. Despedir-se de uma fase e saudar uma nova é revigorante"


Fica aqui a nossa dica de leitura: "Mudar Faz Bem", de Regina Volpato. Indispensável.

21 ago/17

Bossa Nossa apresenta espetáculo que discute a relação de forma musical

postado por Diogo Branco

Espetáculo "Se não for pra me fazer voar bem alto, nem tire meus pés do chão" apresenta, através da música popular brasileira, um panorama das relações entre homem e mulher. Apresentações acontecem 25, 26 e 27 de agosto, no Teatro Santarosa de Ribeirão Preto.



Coro Cênico Bossa Nossa realiza o espetáculo “Se não for para me fazer voar bem alto nem tire meus pés do chão” nos próximos dias 25 (sexta), 26 (sábado) e 27 (domingo) de agosto, no Teatro Santarosa de Ribeirão Preto, com novas cenas e músicas. Com duração de 1h10, a produção apresenta, através da música popular brasileira, um panorama das relações entre homem e mulher, especificamente no campo afetivo.
 
Segundo Magno Bucci, diretor cênico do Bossa Nossa, durante uma pesquisa que durou mais de três anos, o grupo buscou cantar o homem e a mulher em algumas situações de amor e desamor, inclusive abrangendo as novas relações humanas não convencionais. “A escolha do tema passa por crivos de toda a ordem para assegurar a difusão do trabalho e também a qualidade e excelência do produto artístico musical”, explica. Participam deste espetáculo sete cantores e cantoras, todos caracterizados com figurinos especiais, que interpretam músicas de grandes nomes da MPB, como Chico Buarque, Itamar Assumpção, João Bosco e Aldir Blanc, Pedro Luís e Carlos Rennó, Lupicínio Rodrigues, Lenine, Francisco Alves e Nilton Barros, Dolores Duran e até Mamonas Assassinas.
 
A escolha do repertório também foi pensada cuidadosamente, segundo Magno Bucci, para reunir compositores que tiveram a sensibilidade em retratar a relação afetiva do ser humano com poesia, transformando assim, muitas vezes, a dor da separação ou da perda em canto. Em outros momentos, o humor também é usado para retratar essas situações. “É essa relação e seus desdobramentos entre eles que interessa apresentar artisticamente. Cantando a relação em vários tons, em vários momentos, em diferentes situações”, explica Bucci.


 
Proposta
A proposta do espetáculo, segundo Magno Bucci, não é contar uma história  de sonhos, linear e romanceada, em que o homem e mulher se conhecem, namoram, casam e, pouco tempo depois, pequenas brigas geradas pela convivência se instala. “E depois navegarem por um “mar de rosas em uma alternância que umas vezes torna-se perene, outras vezes se rompe – drástica, serenamente ou ressentida”, destaca. Bucci explica que, os encontros e desencontros, em qualquer fase da relação, são frequentes: as voltas e reviravoltas são diárias, risos e choros cotidianos, amor e desamor que se renovam a cada dia. “Portanto, do ponto de vista da Bossa, para efeito de sequenciar as canções, o espetáculo pode ter qualquer começo, qualquer meio, qualquer fim”, acrescenta. É desta forma, que o espetáculo é estruturado: em blocos independentes que podem ser apresentados em sequências diversas e autônomas. O “primeiro” bloco, por exemplo, tem início com o coro “discutindo” fora de cena, que mostra a discussão entre homens e mulheres. O coro entra em cena posiciona-se e começa cantar Luzia, de Itamar Assumpção; na sequência dessa ação “litigiosa”, o coro canta Valsa Brasileira , de Chico Buarque, que é oposta a primeira canção: uma ode autêntica. Em seguida, canta-se Fogo e Gasolina, de Pedro Luís e Carlos Rennó (o título da canção retrata bem a relação: atração).


Agenda
25/08 (sexta-feira) – 20h30
26/08 (sábado) – 20h
127/08 (domingo) – 18h


Serviço
Local: Teatro Santarosa
Praça Rotary Club, 325 - City Ribeirão - Ribeirão Preto/SP
Telefones: 3916.1350 / 3916.2317
Valores ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia) / R$ 15,00 (antecipado)
Pontos de vendas: Teatro Santarosa  e Cineclube Cauim (Rua São Sebastião, 920 – Centro) - Ribeirão Preto/SP - Telefone: (16) 3443.1544

20 ago/17

Relembrando: Entrevista com Caio Castro

postado por Viviane Matos

Olá, quem lembra da entrevista que Mateus Barbassa fez com o ator Caio Castro, em sua passagem por Riberão Preto?

Dê o play e confira!!!


17 ago/17

Casamento: veja dicas para não errar na mesa de doces

postado por Diogo Branco

Clima e período que a cerimônia será realizada pode influenciar na escolha



Os doces não são o “prato principal” de uma festa de casamento, mas, com toda certeza, são os mais esperados pelos convidados. E, assim como todos os outros itens de organização da festa, é necessário dar uma atenção especial para eles, pois, além de bonitos, combinando com a decoração, eles precisam ser deliciosos. Para não errar na escolha e fazer bonito no casamento, algumas dicas podem facilitar a vida da noiva.

Juliana Gobbi, sócia proprietária da Marina Magalhães Doces, explica que o mais importante é combinar os doces com o tipo de cerimônia e fazer a escolha com um prazo de 8 a 4 meses de antecedência. “Tudo depende do gosto dos noivos e de como vai ser o casamento. A gente recebe o casal, agenda uma degustação, apresenta os sabores e indica uma média de consumo, que varia de 5 a 7 doces por convidado. Não indicamos fazer muito antes, pois a noiva acaba esquecendo do que provou, e muitos produtos podem mudar, surgir tendências diferentes e novidades”, explica Juliana.

O consumo de doces varia também de acordo com o clima. Em dias muito quentes, as pessoas tendem a se hidratar mais e acabam consumindo menos açúcar, já no inverno, os doces são consumidos em maior quantidade. Assim, esse aspecto também deve ser levado em consideração no momento de definir a quantidade. A chef confeiteira Marina Magalhães, indica quais sabores devem ser explorados na mesa de doces de acordo com a estação do ano e o período em que vai ser realizada a cerimônia, manhã, tarde ou noite. Ela explica que, se o casamento for durante o outono ou inverno e no período da noite, é legal explorar mais os  que proporcionam sensações mais “quentes”, ou seja, mais chocolates, mais recheios cremosos e bombons, até doces aromatizados com bebidas alcoólicas. Se a cerimônia for durante a primavera ou verão e durante o dia, a dica é trazer sabores que proporcionem frescor no paladar. Os mais cítricos e doces com frutas, e uso de frutas frescas caem muito bem” orienta a chef. “Logicamente, não deixando pra trás os clássicos e queridinhos dos casamentos, que muitos convidados tanto anseiam. O bombom cookies, camafeu de nozes, e um delicioso brigadeiro são sempre escolha certa”, garante Marina.

No caso dos bem casados, o cálculo poder ser de dois por pessoa. Se a noiva for muito cautelosa, pode considerar até três para cada convidado. Outra dica importante é escolher profissionais experientes e qualificados, que tenham conhecimento suficiente para ajudar a noiva a decidir quais as melhores opções para a sua festa. “Para que tudo saia perfeito, é preciso entender o que os noivos desejam, entender o perfil da festa e assim, personalizar o máximo possível, por isso a aproximação com os clientes é tão importante”, finaliza Marina Magalhães. 

A Marina Magalhães Doces está localizada na Rua João Godoy, 446. Mais informações pelos telefones 16. 3969. 6612 ou 3043.5969.

09 ago/17

RibeirãoShopping inaugura moderno Centro Médico

postado por Diogo Branco




A 9ª expansão do empreendimento terá mais de 30 clínicas, day hospital, centro de imagem e laboratório em 11.385 metros quadrados de área construída trazendo um inovador e funcional formato de prestação de serviços de saúde

O RibeirãoShopping inaugura, em 9 de agosto, sua 9ª expansão: um moderno Centro Médico com mais de 30 clínicas, day hospital, centro de imagem, laboratório de análises clínicas, auditório, café e um centro de estudos trazendo um inovador conceito de prestação de serviços na área de saúde. O complexo reúne atendimento de diversas especialidades médicas, tecnologia de ponta, conforto e facilidade para os pacientes. O investimento total na expansão é estimado em R$ 100 milhões, sendo R$ 36 milhões nesta etapa da Multiplan, proprietária do shopping, e o restante das clínicas em obras e compra de equipamentos.

Lançado em duas etapas comerciais, em junho e em novembro do ano passado, o Centro Médico teve todos os espaços de sua primeira fase locados com 4.200 metros quadrados de ABL (Área Bruta Locável). A segunda fase, com 2.000 metros quadrados de ABL, encontra-se com a maior parte de seus espaços já locados ou em negociação.

“Estamos inaugurando um complexo de saúde de sucesso, ousado, diversificado e que certamente irá surpreender toda a nossa região, não só pelo mix de especialidades e gabarito dos profissionais que nele atuarão, mas também pelo padrão de atendimento, os recursos tecnológicos disponibilizados e a comodidade e segurança oferecidas por estar localizado em um centro multiuso”, afirma Felix Diez, superintendente do RibeirãoShopping.

O Centro Médico oferece clínica de neurologia, cirurgia vascular, centro de imagem, pronto atendimento de pediatria e clínica geral, ortopedia, gastro e proctologia, urologia, odontologia, clínica de coluna e dor, dermatologia, cirurgia plástica, reprodução humana, ginecologia, oftalmologia, otorrino e de aparelhos auditivos, bem como serviços de laboratório de análises clínicas, anestesiologia e um day hospital, possibilitando ao paciente resolver tudo num só lugar com conforto e praticidade.

A expansão ocupa área voltada para a Avenida Presidente Vargas, conta com café e auditório modular com capacidade para até 150 pessoas e é totalmente integrada ao mall do RibeirãoShopping através de 2 conjuntos escadas rolantes, elevadores e estruturas envidraçadas. Além disso, há estacionamento com manobristas, quase quatro mil vagas disponíveis, segurança e horários facilitados para atendimento dos pacientes. A estrutura geral do Centro Médico funcionará de segunda a sábado das 6 às 22 horas e, dentro deste intervalo, cada clínica ou operação estabelecerá seu próprio horário de atendimento.

O projeto do Centro Médico foi um dos vencedores do XIII Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa, um dos principais da América Latina, na categoria “Saúde – Edifícios de Saúde”. Cerca de 500 profissionais, sendo 130 médicos, devem trabalhar no local quando estiver operando em sua plena capacidade.

Centro de Estudos

O Centro Médico RibeirãoShopping terá uma novidade voltada para o conhecimento e intercâmbio de informações: o CAPED – Centro Avançado de Pesquisa e Estudos para o Diagnóstico. O projeto ainda se encontra em desenvolvimento e visa estabelecer um intercâmbio com outros centros de referência em saúde no Brasil e no exterior. Através de recursos de imagem e conectividade, o CAPED deverá ser uma ferramenta de apoio dos médicos para busca e troca de informações e análise de diagnósticos e tratamentos, entre outras atividades, como cursos, palestras, transmissão de cirurgias e eventos no auditório do local.

Ficha técnica

Nome: Centro Médico RibeirãoShopping 
Local: 9ª Expansão do RibeirãoShopping – Superior 1, acima do Setor Terra Vermelha
Área total construída: 11.385 metros quadrados 
ABL (Área Bruta Locável): 6.200 metros quadrados, sendo 4.200 m² da Fase 1 e 2.000 m² da fase 2
Investimento Multiplan: R$ 36 milhões nesta etapa
Estimativa de investimento total (Multiplan + clínicas): R$ 100 milhões 
Lançamento 1ª fase : Junho/2016
Início das obras: Agosto/2016
Lançamento segunda fase: Novembro/2016
Entrega das obras para as clínicas: Dezembro/2016
Geração de empregos durantes as obras: 350
Estimativa de empregos após a inauguração: 500
Inauguração: 09 de agosto/2017
Abertura para o público: 10 de agosto/2017
Total de espaços locáveis no Centro Médico: 37, sendo 31 clínicas, 3 âncoras (Day Hospital, Centro de Imagem e Laboratório), 1 auditório, 1 café e um Centro de Estudos

Clínicas e operações que inauguram em agosto

ESSELENSE Day Hospital
Coluna e Dor Centro Especializado
CAVEC – Centro Avançado de Videoendoscopia e Cirurgia
INU – Instituto de Nefrologia e Urologia
PAAP – Pronto Atendimento de Alta Performance
CARDIO PRIME – Clinica de Cardiologia
LE PLUME - Clínica de Dermatologia
Centro Avançado de Cirurgia Plástica
CEFERP – Centro de Fertilidade Ribeirão Preto
Clínica VALENS Transformando Sorrisos
Laboratório Behring
Clínica de Oftalmologia
Direito de Ouvir
Otorrino Center
Clínica de Vacinas Gesti
PRONEURO - Instituto Avançado de Neurologia
INCIVA - Cirurgia Vascular e Endovascular
MULHER & SAÚDE – Clínica de Ginecologia, Mastologia e Obstetrícia
DIAP / DVI – Centro de Diagnóstico por Imagem
CARP – Clínica de Anestesiologia de Ribeirão Preto
Auditório para 150 pessoas
Café

RibeirãoShopping e Multiplan

O RibeirãoShopping foi inaugurado em 5 de maio de 1981 e atualmente é o centro de uma movimentada região de Ribeirão Preto (SP), recebendo mais de 10 milhões de frequentadores por ano. Já passou por nove expansões e conta com cerca de 410 operações comerciais incluindo o novo Centro Médico. O empreendimento possui 74.796 metros quadrados de ABL e mais de 100 mil m² de área comercial, incluindo hipermercado e sem contar com os edifícios comerciais e hotel. O empreendimento é administrado pelo Grupo Multiplan e oferece mais de 5 mil empregos diretos.

Atualmente, a Multiplan possui 18 shopping centers em operação, distribuídos pelo país: BarraShopping, New York City Center, ParkShoppingCampoGrande e VillageMall, no Rio de Janeiro (RJ); BH Shopping, DiamondMall e Pátio Savassi, em Belo Horizonte (MG); MorumbiShopping, ShoppingAnáliaFranco e ShoppingVilaOlímpia, em São Paulo (SP); JundiaíShopping, em Jundiaí (SP); ParkShoppingSãoCaetano, em São Caetano do Sul (SP); RibeirãoShopping e Shopping Santa Úrsula, em Ribeirão Preto (SP); ParkShopping, em Brasília (DF); ParkShoppingBarigüi, em Curitiba (PR); BarraShoppingSul, em Porto Alegre (RS); e Parque Shopping Maceió, em Maceió (AL).

O portfólio de shopping centers em operação totaliza uma ABL de 774.991 m², mais de 5.400 lojas e tráfego anual de consumidores estimado em 180 milhões. A Multiplan detém participação média de 76,6% em seus shoppings. Adicionalmente, a empresa possui dois conjuntos de torres comerciais com ABL total de 87.558 m², que somada à área total dos shopping centers, resulta em uma ABL de 862.549 m².

04 ago/17

Cortar o açúcar. Aceita o desafio?

postado por Diogo Branco

Um dos principais vilões da nossa saúde, o açúcar, está cada vez mais na mira de médicos e nutricionistas. Isso porque, se consumido em excesso, ele pode causar inúmeros riscos e problemas à saúde, entre eles, enxaqueca, aumento do peso corporal, aumento da gordura visceral, além de alterações estéticas como celulite, estrias e acne, cáries, maior predisposição a doenças cardíacas, resistência à insulina, diabetes tipo II e câncer. Mas a lista não para por aí, muitos outros problemas estão associados ao excesso de açúcar presente na nossa alimentação.

Segundo a OMS, Organização Mundial de Saúde, o consumo diário aceitável deve ficar abaixo de 10% das calorias ingeridas, porém, maiores benefícios podem ser alcançados se o consumo diário for reduzido para 5% das calorias ingeridas (cerca de 25g de açúcar por dia), difícil quem não ultrapassa tal limite. Consumimos o açúcar diariamente de diversas formas. Além do açúcar de mesa, utilizado na preparação de refeições, consumimos os açúcares adicionados aos alimentos, refrigerantes e bebidas prontas para consumo, além do mel, xaropes e sucos de frutas com adição de açúcar.

De acordo com a nutricionista e educadora física Kátia Helen Mazziero, quem consegue cortar o açúcar, ganha muito mais saúde. “Quando cortamos o consumo de açúcar, temos que retirar o consumo de produtos industrializados e tornamos nossa alimentação muito mais adequada. Claro, se você é viciado naquele docinho todos os dias, nos primeiros dias pode até sentir um pouco de dor de cabeça, angustia, piora do humor, porém com o tempo isso passa e a saúde agradece”, explica Katia.

Quem topou esse desafio foi Mariana Balan, do blog Mamãe de Biquíni, que lançou em suas redes sociais o projeto “20 semanas sem açúcar”. A blogueira conta que começou a perceber o quanto se sentia mal ao consumir o açúcar e que ele atrapalhava muito  o sucesso da dieta. “A maior dificuldade foi no começo, passar a fase da abstinência. As primeiras semanas foram de muita irritabilidade e vontade de doce. Estou há 5 semanas no projeto e agora já estou bem mais controlada. Meu principal objetivo é eliminar esse vício e passar a ter controle sobre o consumo do açúcar”, explica Má Balan.

Para quem não consegue ficar sem doces, a dica da nutricionista Katia Mazziero é fazer opções mais saudáveis. Frutas de baixo índice glicêmico, mix de frutas secas com castanhas e nozes, chocolates +70% cacau ou ainda uma porção reduzida do doce em si, afinal moderação é a chave. “É bom ficar atento aos produtos diet, que nem sempre são sinônimos de produtos sem açúcar.  O diet é um alimento com isenção de um dos componentes nutricionais do produto original. Se a pessoa quer reduzir a quantidade de açúcar, o ideal é ir reduzindo aos poucos o consumo ao invés de inserir mais alimentos industrializados nas refeições. Quanto mais natural, melhor”, orienta Katia.

A blogueira Má Balan tem alguns truques para quem também quer abandonar o consumo do açúcar. Ela consome doces 'fakes', ou doces falsos, feitos com xilitol e com stévia que são os únicos dois 'açúcares' liberados no projeto. E doces feitos por ela ou por lugares de confiança.  “Os industrializados que dizem no rótulo que não contém açúcar nem sempre são confiáveis. Outro truque é comer uma fruta na hora do vontade do doce. A tangerina tem me ajudado muito, além de doce contém muitas fibras. Não vou falar que vou ficar para sempre sem ingerir doces, até porque tenho uma filha de 2 anos e não incluí ela nesse projeto. Mas quero aprender a ter controle sobre o açúcar”, finaliza Má Balan.